Imagens Bitmap – Tamanhos e Formatos:

Imagens Bitmap – Tamanhos e Formatos:

O objetivo deste texto é ajudar os designers a entender os problemas de flexografia, a fim de alcançar melhores resultados nos impressos.

Os principais formatos de imagens utilizados nos trabalhos são: TIFF, PSD, JPEG e EPS. Estas imagens precisam de uma resolução mínima para garantir a qualidade do impresso.

72_300_200_porcento

A imagem da esquerda tem 72 dpi com zoom de 200% no detalhe e a imagem da direita possui 300 dpi com zoom de 200% no detalhe.

Continue lendo “Imagens Bitmap – Tamanhos e Formatos:”

Undo, Desfazer, Desfazer, Desfazer…

Undo, Desfazer, Desfazer, Desfazer…

Esta dica vale ouro e é muito legal para usuários do Photoshop.

Você provavelmente sabe que Cmd (mac)/ Ctrl + Z é Undo (desfazer), mas talvez não saiba que  Cmd / Ctrl + Alt + Z permite que você desfaça mais do que um estado de histórico.

Qual espaço de cor usar? RGB ou CMYK?

conversao_rgb_cmykMuitos softwares gráficos permitem trabalhar em “espaços de cor” RGB ou CMYK. Os scanners e monitores usam o RGB, combinações de apenas três cores: vermelho (R = red), verde (G = green) e azul (B = blue), cores básicas da luz, para exibir as imagens. Já os impressos usam um jogo de cores com pigmentos diferentes: ciano (parecido com azul), magenta (parecido com vermelho), amarelo e preto (chamado “CMYK”). Este ultimo, é o processo à 4 cores, muito utilizado na maioria dos impressos de marketing que vemos todos os dias. Em algum estágio do processo de produção destes impressos, o RGB precisa ser convertido em CMYK para sua reprodução em papel. Esta conversão exige alguns cuidados, principalmente com informações sobre o tipo de papel que receberá a imagem impressa.Convertendo RGB em CMYKcores_rgb_cmykPara fazer a conversão de cor, as três cores aditivas (vermelho, verde e azul ou RGB) são convertidas para seus opostos subtrativos (ciano, magenta e amarelo ou CMY). Na teoria, partes iguais de ciano, magenta e amarelo são combinadas para subtrair toda a luz refletida do papel, além de criar a cor preta. Entretanto, como as impurezas estão presentes em todas as tintas de impressão, a combinação dessas cores resulta, por sua vez, em um marrom escuro no lugar de preto. Para compensar essa deficiência no processo de conversão das cores, as impressoras removem um pouco de ciano, magenta e amarelo nas áreas em que as três cores existem, em intensidades iguais, adicionando a tinta preta. Existem duas maneiras de criar o canal do preto (K), pelo processo:
UCR (remoção de cores subjacentes) – onde a tinta preta é utilizada para substituir o ciano, o magenta e o amarelo apenas em áreas neutras (áreas de máximas), sem interferir nas outras cores.
GCR (substituição do componente cinza) – onde a tinta preta é utilizada para substituir partes de ciano, magenta e amarelo em áreas coloridas (áreas de mínimas), bem como em áreas neutras (áreas de máximas). Cuidado, se utilizado incorretamente, o GCR pode gerar uma nevoa acinzentada em toda área da imagem, bem como, acentuar o aparecimento das rosetas, dando a percepção de ruídos nas áreas mínimas e medianas.
Nesta parte do processo de conversão (criação do canal do preto), algumas informações sobre o tipo de tinta e papel utilizado determina a qualidade da conversão na impressão final. 

A cor da tinta mais utilizada no Brasil é o padrão Europa e os tipos de papeis na impressão, basicamente, são três: jornal, opaco e brilhante (couchê). Cada um possui características diferentes que faz com que absorvam mais ou menos tinta, gerando o ganho de ponto ou aumento do ponto. A conversão de RGB para CMYK pode compensar estas diferenças, evitando que o papel encharque de tinta, ocasionando erros de registro, transparências, rasgos e outros problemas na impressão, além de falhas na qualidade da imagem, como áreas de sombras entupidas, cores saturadas entre outras. Os programas gráficos, como o Photoshop, possuem ferramentas para personalizar a conversão do CMYK. Veja no quadro abaixo as configurações mais comuns para obter boa qualidade na conversão.

 

Tabela simplificada para conversão CMYK

Papel
Jornal
Opaco
Brilhante
Cor da Tinta
Europa
Europa
Europa
Ganho de Ponto
30%
15%
9%
Tipo de Separação
UCR
UCR
UCR
Limite de Tinta Preta
85%
90%
95%
Limite Total das Tintas
280%
300%
320%

 

Para ajustar o tipo de conversão no Photoshop, abra a caixa diálogo “CMYK Personalizado” que se encontra em “Configurações de Cores…” e entre com os valores do quadro acima para o tipo de trabalho que deseja converter sua imagem RGB. 

photoshop_cmyk

*Fonte: Apolo Sistemas Gráficos